Volta a Portugal termina em festa nos Aliados a 11 de agosto
31-07-2019
Numa edição marcada por vários regressos, a Volta a Portugal em bicicleta partiu na quarta-feira de Viseu para percorrer 1.531 quilómetros até ao grande final, a 11 de agosto, na Avenida dos Aliados. Há 30 anos que o Porto não recebia a chegada da prova.

Saiu na passada quarta-feira para a estrada a 81.ª edição da Volta a Portugal, que vai percorrer em bicicleta, até 11 de agosto, 1.531 quilómetros, repartidos entre Viseu e o Porto. Trinta anos depois, a Avenida dos Aliados recebe o contrarrelógio decisivo que marca o final da prova.


O pelotão vai enfrentar nos derradeiros quilómetros um contrarrelógio com vista para o Douro e passagem na Ponte do Infante. Os ciclistas terão de percorrer 19,5 quilómetros entre Vila Nova de Gaia e o Porto antes cortarem a meta na instalada na principal sala de visitas da cidade: a Avenida dos Aliados. 




A etapa final, a 10.ª da prova, tem passagens por Canidelo/Santa Marinha/Coimbrões/Avenida da República/Santo Ovídio/Ponte do Infante/Largo de Soares dos Reis/Freixo/Marginal/Túnel da Ribeira/São Bento/Clérigos/Aliados. Serão quase 20 quilómetros com trajetos de diferentes características.

Após 10 dias de competição (que contempla 1 dia de descanso, a 6 de agosto), o contrarrelógio de Vila Nova de Gaia -Porto, colocado estrategicamente no último dia de prova, constitui uma das etapas mais importantes da corrida, segundo a organização da prova.

A 81.ª Volta a Portugal em bicicleta vai para a estrada nesta quarta-feira, num prólogo em Viseu, e terá como grandes momentos as subidas à Torre, Serra do Larouco e Senhora da Graça. 

O pelotão é composto por 19 equipas, nove das quais portuguesas. O espanhol Raúl Alarcón (W52-FC Porto), vencedor da Volta a Portugal em bicicleta em 2017 e 2018, vai falhar a 81.ª edição devido a uma lesão.

No longo historial da Volta, o Porto marcou presença em 141 etapas, das quais 70 foram chegadas e oito delas tiveram o selo de Grande Final da prova. Em 1989, na 51.ª edição, foi aqui coroado pela última vez o Rei da Volta - Joaquim Gomes, atual diretor da prova - numa etapa também discutida em sistema de contrarrelógio individual com início em Matosinhos e um traçado de 21,5 quilómetros.