Porto volta a ser a Cidade das Camélias entre 4 a 11 de março
15-02-2017
O mês de março no Porto vai ser dedicado àquela que já é conhecida como a "flor do inverno".
De 4 a 11 de março, o Porto transforma-se na "Cidade das Camélias" e dedica uma semana inteira de programação exclusivamente dedicada à camélia, a flor da cidade, considerada património natural e cultural. Será cerca de uma centena de atividades dispersas por vários locais da cidade, todas gratuitas e apenas algumas a requerer inscrição prévia.
 
O ponto alto da semana será a XXII Exposição de Camélias do Porto, nos dias 4 e 5 de março. Depois de já ter passado por espaços como o Mosteiro de São Bento da Vitória e a Casa de Serralves, este ano a exposição realiza-se no Palácio da Bolsa, joia do estilo neoclássico do século XIX e Monumento Nacional, localizado na área classificada como Património Mundial.

A abertura da exposição, este ano dedicada ao tema "Porto Histórico", está marcada para as 14,30 horas de 4 de março, dia em que serão anunciados os vencedores das várias categorias a concurso, nomeadamente, a "Melhor Camélia", a "Melhor Camélia de Origem Portuguesa" e o "Melhor Arranjo Floral com Camélias".  

A Exposição de Camélias do Porto estará patente ao público até às 19 horas do dia 5 de março com um programa no interior que além de permitir apreciar a diversidade e beleza das camélias expostas por viveiristas e colecionadores, inclui diversas atividades, como o Mercado da Camélia, oficinas, sessões de teatro de sombras e uma cerimónia de chá japonês.

Fora do Palácio da Bolsa, a programação estender-se-á a outros espaços e locais da cidade, prolongando-se até ao dia 11 de março. A vasta agenda de eventos inclui concertos, instalações, mostras, exposições, palestras, workshops, conferências, espetáculos de dança e teatro, visitas guiadas e percursos de orientação, lançamento de um livro na BMAG, degustações, entre outras iniciativas.

Os eventos que integram a programação da Semana das Camélias vão realizar-se em vários locais da cidade, tanto ao ar livre como em espaços interiores, envolvendo vários parceiros: Universidade do Porto, Fundação de Serralves, Teatro Nacional São João, Santa Casa da Misericórdia do Porto, Fundação Fábrica Social do Escultor José Rodrigues, ACE Teatro do Bolhão, ESMAE, Casa da Música, Museu Nacional Soares dos Reis,  Irmandade dos Clérigos, Sé Catedral do Porto, Cooperativa Artística Árvore, Lipor, IVDP, Feitoria Inglesa, Conservatório de Musica do Porto, entre outros.

O programa desta edição inclui o "Cycle Flower Parade", um passeio que desafia os participantes a levarem a bicicleta mais florida; a performance "Celebração", uma deambulação que inclui canto, música, figurinos e caracterização e que será apresentada pela ACE-Teatro do Bolhão; a instalação artística "Kameria" que de 4 a 11 de março vai sugerir aos visitantes o caminho a seguir pelo interior da Praça do Infante; e o percurso de orientação "Descobre-camélias", que a 11 de março convidará o público a redescobrir os Jardins do Palácio de Cristal e as suas belas japoneiras. 

Na música, o destaque vai para o concerto sinfónico de abertura que terá lugar Casa da Música pelo Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga, a 4 de março; para o Harmos Festival, que este ano se cruza com a Semana das Camélias, com o seu concerto de warm up no dia 3 de março, na Praça do Infante; e ainda para o concerto no dia 10 de março, na Igreja dos Clérigos, pelo Conservatório de Música do Porto.

A cultura japonesa estará também presente ao longo desta semana, com atividades como a oficina de pintura e caligrafia Sumi-e, a demonstração da técnica de vestir um quimono tradicional japonês e a dança tradicional japonesa, a tradição do chá, entre outras. 

Para quem aprecia fotografia, haverá uma exposição coletiva de fotografia no Museu e Igreja da Misericórdia do Porto, com os trabalhos dos participantes no workshop de fotografia realizado na edição anterior, assim como uma palestra de fotografia por Philip Smith, fundador do International Garden Photographer of the year. 

Do programa fazem ainda parte várias visitas guiadas, nomeadamente à Igreja de São Francisco, a jardins como o Botânico do Porto ou o da Casa da Prelada, e ainda uma visita pelo "Porto Histórico", orientada pelo historiador Joel Cleto.

Em mais um ano em que a Cidade Invicta está de parabéns por ter sido eleita como "Melhor Destino Europeu", e por ter mais um restaurante com estrela Michelin, o Instituto do Vinho do Douro e do Porto-IVDP recebe na Semana das Camélias o chef Vitor Matos, para uma harmonização de excelência com Vinho do Porto e Camélias, a degustar e não perder. 

A pensar também nos muitos apreciadores do universo desta flor, serão realizadas ao longo da semana várias oficinas de arranjos florais e de propagação de camélias, bem como uma mostra de arranjos florais da autoria de artistas, pintores e decoradores de eventos, a decorrer no MMIPO.  Refira-se que a Mostra de Trabalhos Escolares, que em anos anteriores se realizou no mesmo local da Exposição de Camélias, será este ano deslocada para o exterior, para dar cor e alegria aos candeeiros da Rua das Flores e da Praça do Infante com 200 trabalhos de pintura realizados por crianças de escolas e instituições do Porto, sob o tema "Camélias, uma festa de luz".

O Encerramento da Semana das Camélias culminará com uma animada festa na Fundação de Serralves, com entrada livre e cujaprogramação incluirá oficinas de arte e de ciência, visitas, atividades para crianças e famílias, teatro, marionetas, dança, música e um mercado da camélia. Está marcado para o dia 11 de março, entre as 10 e as 18 horas.

A Exposição e a Semana das Camélias do Porto é uma organização da Câmara do Porto, através do seu Pelouro do Ambiente e da PortoLazer, em conjunto com a Associação Portuguesa de Camélias.

Em seguida podem consultar a programação completa da iniciativa.