Pinguins da América do Sul são os novos habitantes do Sea Life Porto
11-07-2019
São sete pinguins Humboldt os mais novos habitantes do Sea Life Porto e os primeiros da história da cidade. A apresentação oficial destes exemplares originários da América do Sul aconteceu nesta quinta-feira e assinala o décimo aniversário do maior aquário do norte do país.
Beaker, Luna, Pip, Pumpkin, Mahogany, Tommy e Fluffy constituem dois casais e três "solteiros" e foram acolhidos no mais recente espaço de visita do aquário. A nova casa representa um aumento da área expositiva, desta feita ao ar livre, e revela um investimento na ordem de um milhão de euros, feito pela empresa britânica Merlin (dona do Sea Life), a segunda maior operadora de atrações turísticas do mundo (como o London Eye ou o Museu Madame Tussauds).

Para Rui Ferreira, diretor geral do espaço, o projeto "Porto dos Pinguins" vem dar resposta ao crescente número de visitantes que o aquário tem recebido e que, na última década, ultrapassou a barreira dos 2 milhões de pessoas.

"Estender a experiência Sea Life e aumentar o espaço fazia cada vez mais sentido. E, quando pensámos no espaço exterior, não existiu qualquer dúvida de que trazer uma família de pinguins, fruto de um programa de conservação interno do Sea Life, seria a aposta certa, porque são das criaturas mais acarinhadas e desejadas e a primeira que as crianças nos pediam."

Os pinguins Humboldt encontram-se assinalados pelo IUCN-World Conservation Red List of Threatened Species como "vulneráveis" na lista das espécies em vias de extinção.

Os novos embaixadores são uma espécie bastante fiel e, por norma, só têm um parceiro ao longo de toda a sua vida. Este grupo é proveniente de outros aquários de grupo (Reino Unido, Bélgica e Holanda).

"Neste grupo as idades variam entre os quatro e os dois anos, sendo que em cativeiro chegam aproximadamente aos 30, 35 anos", explicou ao "Porto." Ana Ferreira, curadora do Sea Life Porto.

Quanto às novas instalações, Ana Ferreira adiantou que foram pensadas ao pormenor. "Têm uma zona húmida, que é a piscina, e uma zona seca, com diferentes tipos de substrato" uma vez que a espécie não gosta de chão plano, mas "de sentir irregularidades".

"E têm aquilo a que nós chamamos os ninhos, que são pontos de refúgio quando eles se sentem stressados, querem ficar isolados ou em casal. Funciona como se fosse uma casota e têm privacidade total", disse a responsável pelo tratamento e bem-estar dos animais.

Para celebrar o aniversário e a chegada dos ilustres membros à família do Sea Life Porto, o aquário oferece a entrada gratuita para crianças até aos 12 anos por cada adulto pagante desta quinta- feira, dia 11, até domingo, 14 de julho.

O Sea Life no Porto

Com 5.000 metros quadrados de área, o Sea Life é um espaço de cultura, entretenimento e aprendizagem. Além de proporcionar uma experiência de descoberta do mundo marinho, promove a conservação das espécies pela via da consciencialização social e da educação.

Os pinguins, o peixe-palhaço, o peixe-dragão, o tubarão-de-pontas-negras e os cavalos-marinhos são algumas das centenas de espécies marinhas e de água doce que, atualmente, habitam os 32 aquários instalados, além do túnel subaquático, o primeiro de Portugal, que atravessa mais de 500.000 litros de água.