Monte Aventino será reabilitado e transformado em centro de excelência para o ténis
24-01-2018
Equipamento vai tornar-se num espaço de eleição para para a prática e o ensino do ténis e para a realização de grandes eventos ligados aos desportos de raquete.
Inaugurado em 1997, o Complexo Desportivo Monte Aventino vai iniciar um novo capítulo na sua história. A infraestrutura, propriedade do Município do Porto e até agora gerida pela empresa municipal PortoLazer, vai ser ampliada, modernizada e readaptada às novas exigências, de modo a transformar-se num centro de excelência para a prática e o ensino do ténis, mas também num espaço de eleição para a realização de grandes eventos ligados aos desportos de raquete.

O investimento, que será suportado pela Federação Portuguesa de Ténis e concretizado no espaço de dois anos, faz parte de um acordo em que o Município cede a gestão e exploração do imóvel à federação que tutela o ténis e o padel em Portugal pelo prazo de 20 anos.

Após ter sido aprovado em reunião de Câmara e posteriormente ratificado em Assembleia Municipal, o contrato foi publicamente celebrado esta quarta-feira, num dos courts do complexo desportivo, pelo presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, o presidente da Federação Portuguesa de Ténis, Vasco Costa, e a vereadora e presidente do Conselho de Administração da PortoLazer, Catarina Araújo.

Com uma utilização intensa ao longo destes últimos 20 anos, em que acolheu e formou inúmeros praticantes, servindo de palco a vários eventos e iniciativas associados a esta modalidade, como é o caso do Porto Open, o complexo está hoje desatualizado, necessitando de um conjunto alargado de intervenções.

O objetivo passa por aproveitar todas as potencialidades deste equipamento municipal, tornando-o novamente num local de eleição para a prática de desportos de raquete, como sejam o ténis, o padel ou squash, dotando-o de um centro de formação e alto rendimento.

Para a concretização deste ambicioso projeto, o Município do Porto encontrou na Federação Portuguesa de Ténis o parceiro natural, quer pela sua vocação e competência técnica, quer pela disponibilidade demonstrada para suportar o investimento a realizar no espaço.

O plano de obras prevê, entre outros, a construção de três campos cobertos em piso duro (resina ou acrílico), a alteração do piso do court central, a construção e transformação dos atuais três courts descobertos em cinco courts (pelo menos três em piso duro), a reposição dos atuais dois campos cobertos em terra batida, assim como a construção de seis novos campos de padel (pelo menos dois cobertos).

O projeto pressupõe, ainda, obras de manutenção e melhoramento das atuais instalações desportivas e sociais, de acordo com um plano a apresentar nos próximos seis meses.

Além de garantir a gestão e exploração deste equipamento municipal por uma entidade especialmente vocacionada para o efeito, detentora de estatuto de utilidade pública desportiva, a Câmara do Porto assegura, ao abrigo deste acordo, que o Complexo Desportivo Monte Aventino se manterá aberto à população em geral, conciliando a sua atividade desportiva e comercial com uma indispensável função de serviço público.

O acordo pressupõe, igualmente, que a Federação Portuguesa de Ténis passe a abrir as suas Escolas de Formação de Ténis às crianças e jovens da área do Município, mas também que desenvolva um projeto específico no âmbito dos desportos de raquete dirigido a crianças do primeiro ciclo, além de outras ações de dinamização e desenvolvimento da modalidade junto da população mais jovem e carenciada.

Assegurada fica, também, a continuidade nas instalações do Complexo Desportivo de iniciativas como os Campos de Férias ("Missão Férias"), dinamizados pela PortoLazer na Páscoa e no Verão, assim como o programa municipal "No Porto a Vida é Longa".