ALUMIA: Há luz no Centro Histórico
24-11-2016
Pode a luz transformar um espaço? Dar mais vida ao seu património? Pode a cidade cinzenta, granítica, celebrar com luz o seu Centro Histórico?
Depois do Manobras e do Locomotiva, o Centro Histórico do Porto volta a ser o território de intervenção e inspiração para um novo programa de dinamização cultural promovido pela empresa municipal PortoLazer, a desenvolver entre dezembro de 2016 e junho de 2017.

Cofinanciado por fundos comunitários, no âmbito do programa Operacional Norte 2020, o projeto tem como mote a efeméride dos 20 anos da classificação do Centro Histórico do Porto como Património Mundial, que se assinala a 5 de dezembro de 2016.

Englobando um vasto conjunto de ações, intervenções e instalações no espaço delimitado pelo Centro Histórico, este programa adotará a designação de ALUMIA, por ter precisamente a luz (em todo o seu espectro) como principal ferramenta de exploração, revelação e transformação do património, oferecendo-lhe uma nova leitura e novos significados.

Guiados pela luz, convidaremos o público, residente e visitante, a contemplar este excecional legado que sempre foi da cidade e dos portuenses, mas que também já é de todos, e da Humanidade.

É neste património coletivo, para muitos talvez ainda desconhecido, e até oculto, que serão desenvolvidos os vários momentos de programação ao longo dos próximos seis meses, incluindo 13 instalações no espaço público, resultantes de convites a artistas e coletivos, numa primeira fase, e selecionadas por via de convocatória aberta, numa segunda. Num caso e noutro, sempre com a luz, pela sua enorme abrangência de exploração, como fonte e processo de inspiração.


UM CAMINHO DE LUZ PARA CELEBRAR O PATRIMÓNIO

O primeiro momento, coincidente com a efeméride dos 20 anos da classificação do Centro Histórico pela UNESCO, será já a 5 de dezembro, com a revelação das primeiras seis instalações físicas que, até 8 de janeiro de 2017, passarão a habitar (e iluminar) o espaço público.

Aos artistas e criativos convidados pediu-se que valorizassem e potenciassem este ativo, provocando um novo olhar e diferentes leituras sobre o património e a sua paisagem envolvente. 

O percurso, que será oficialmente inaugurado às 17,30 horas do dia 5 de dezembro, é pontuado por seis instalações artísticas, localizadas, respetivamente, no Jardim da Cordoaria, Largo do Amor de Perdição, Clérigos, Largo dos Lóios, Estação de São Bento e Bairro da Sé, conforme descrição no documento anexo.

A partir desse dia, e até 8 de janeiro de 2017, serão promovidas diariamente, sempre a partir das 17,20 horas, várias visitas guiadas pelo Centro Histórico e por este percurso de luz, através do Serviço Educativo do projeto ALUMIA, numa parceria com a Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto.


LANÇAMENTO DA CONVOCATÓRIA ABERTA

O Dia Nacional dos Centros Históricos, que se assinalará a 25 de março de 2017, constituirá outro dos momentos de programação do ALUMIA, com a apresentação de sete novas instalações no espaço público, estas selecionadas por via de uma convocatória aberta.

As propostas deverão concretizar instalações físicas que privilegiem a transformação da visita noturna ao património, pelo que a luz deverá ser, uma vez mais, a principal ferramenta de exploração dos criativos, estudantes, amadores ou profissionais, que poderão concorrer a título individual ou coletivo.

A convocatória aberta é lançada oficialmente esta sexta-feira, 25 de novembro, sendo o dia 30 de dezembro a data limite para a entrega das propostas. A PortoLazer atribuirá 3.570 euros para a concretização e instalação de cada uma das propostas selecionadas pelo júri e que serão distribuídas ao longo de um percurso entre o Passeio das Virtudes e as Escadas da Vitória. Já podem consultar o regulamento e a ficha de inscrição.

Promovido pela empresa municipal PortoLazer, o ALUMIA resulta de uma candidatura submetida e aprovada no âmbito do Programa Operacional Norte 2020. O valor global do projeto é de 387 mil euros, cofinanciados em 85 por fundos comunitários.