Festas de São João

Apesar de ser um dos santos populares mais celebrados por toda Europa, nenhuma cidade festeja o São João como o Porto, numa manifestação popular que arrasta multidões para a rua, contagiando cada um dos bairros e freguesias da cidade, entusiasmando todos quantos participam ou descobrem pela primeira vez esta festa. 


Pelas suas características únicas e especiais, mas também pela cada vez maior qualidade e diversidade da sua programação, as Festas de São João são hoje um dos eventos âncora da cidade e uma marca já indissociável do Porto, reforçando a sua presença no panorama turístico internacional, nomeadamente, por esta forte associação a eventos únicos e diferenciadores do destino Porto.


Embora tendo como auge a noite de 23 para 24 de junho, o programa oficial das Festas de São João estende-se por todo o mês de junho, contando com uma vasta agenda que integra múltiplas iniciativas de animação, que vão desde a música ao desporto, passando pelas tradicionais rusgas, arraiais e bailaricos.


Dos mais novos aos mais velhos, todos festejam o São João e são muitas as tradições associadas a este dia: desde lançar balões de ar quente, bater com martelos nas cabeças dos que passam, passar alho-porro pela cara dos populares, saltar sobre as fogueiras, oferecer manjericos com quadras tradicionais ou assistir ao fogo de artifício sobre o rio Douro, onde todos se juntam à meia-noite para apreciar o espetáculo com a melhor vista sobre a cidade.


Como manda a tradição, assam-se sardinhas em qualquer canto da cidade e por todo todo o lado há música e bailaricos a animar a noite.


A festa só termina de madrugada e os mais resistentes encerram a noite percorrendo a marginal desde a Ribeira até à Foz do Douro, onde aguardam pelo nascer do sol.


A ORIGEM DO SÃO JOÃO


Com origem no século XIV, o São João era inicialmente uma festa pagã, de adoração ao Deus do Sol, em comemoração das colheitas e da abundância. Mais tarde, à semelhança do que sucedeu com o Entrudo, a Igreja cristianizou esta festa pagã, celebrando o nascimento de São João Batista no dia 24 de Junho.


Mas a festa do São João do Porto tem origem no solstício de Junho. Fazia parte do ritual dessa festa pagã a compra de um alho-porro, que era depois pendurado na principal parede da casa para dar sorte e fortuna, ali ficando até ser substituído por outro no ano seguinte.


Na noite de 23 de junho, grupos de famílias saíam dos bairros a pé com destino às Fontainhas para verem a cascata do São João e compravam pelo caminho aos lavradores não só o tradicional alho-porro, mas ainda outros vegetais simbólicos, como vasos de manjerico e ramos de cidreira e de cravos.


Os festejos de São João na cidade do Porto são já seculares, mas foi só no século XX que o 24 de Junho passou a ser feriado municipal na Invicta, proporcionando um merecido dia de folia a milhares de tripeiros.


A primeira alusão aos festejos populares data já do século XIV, pela mão do famoso cronista do reino, Fernão Lopes. Em 1851, os jornais relatavam a presença de cerca de 25 mil pessoas nos festejos sanjoaninos entre os Clérigos e a Rua de Santo António e, em 1910, um concurso hípico integrado nos festejos motivou a presença do infante D. Afonso.